sábado, 18 de julho de 2009

FÓRUM UNIVERSITÁRIO DA UNEAL SERÁ EM SETEMBRO 2009

O fórum Universitário será realizado no período de 21 a 25 de setembro(Tarde e Noite).
De acordo com o que foi aprovado pela Comissão Geral de organização do Fórum, possui os seguintes poderes ( O Regimento ainda vai ser aprovado pelo CONSU):
Art. 1º O Fórum Universitário é o ógão de deliberação máxima de manifestação da Comunidade Acadêmica em materia de política para o ensino superior e para todos os assuntos ligados a ensino, à pesquisa, à extensão e à administração.
§1º O Fórum Universitário manifesta-se, ainda, sobre as atividades desenvolvidas pela Universidade, bem como sobre sua programação futura.

Ou seja, cabe a toda a comunidade acadêmica poderes para mudar o que acreditar necessário visando melhorias na UNEAL.

A forma de participação será de 150( cento e cinquenta) delegados escolhidos proporcionalmente em cada campus entre professores efetivos, alunos de graduação matriculados(todos) e funcionários efetivos. Como temos apenas 3(três) funcionários efetivos, os delegados serão, em sua maioria, professores e alunos.

Toda a comunidade pode participar com Direito a voz, mas apenas os delegados podem votar.teremos 3(três) temáticas principais: 1- Universidade, princípios, finalidades e democracia; 2- Estrutura Administrativa, patrimônio, recursos e regime financeiro; 3- Ensino, pesquisa e extensão.
A aprovação das novas normas para funcionamento da UNEAL deverá ocorrer com maioria simples(50% + 1) dos votos dos delegados devidamente credenciados.

Em breve, no site da UNEAL, deverá ter um local para sugestões de mudanças necessárias. O ESTATUTO E REGIMENTO GERAL ATUAIS, SÃO ENCONTRADOS NO SITE DA UNEAL. Observem para propor possíveis alterações.

Este Blog em breve também trará novas informações

segunda-feira, 1 de junho de 2009

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Nota de Repúdio contra o Corte no Orçamento da Uneal - Consu/Uneal

Devido a mais um corte orçamentário na instituição (dessa vez foram cortado 43% da verba já destinada a manutenção da universidade), o Conselho Superior da Uneal discutiu e aprovou por unanimidade a seguinte nota:

NOTA DE REPÚDIO


O Conselho Superior da Universidade Estadual de Alagoas - UNEAL, em sessão do dia 23 de abril de 2009, na Sala dos Conselhos, adotou por unanimidade a presente nota de repúdio à atitude do Governo do Estado de Alagoas que, ainda no primeiro trimestre do ano, já cortou 43% do orçamento desta instituição.

Tal atitude do Governo do Estado fere o princípio constitucional que garante a autonomia universitária, além de inviabilizar o funcionamento regular e a manutenção dos serviços prestados à comunidade.
O orçamento da UNEAL para 2009, mesmo insuficiente, foi uma vitória da mobilização da comunidade universitária, com o apoio da sociedade alagoana, e NÃO PODE SER CORTADO. Tem que ser garantido integralmente para que a Universidade Estadual de Alagoas possa cumprir seu papel social e institucional, que é servir ao povo alagoano.
Ensino público gratuito e de qualidade! É direito do Cidadão e dever do Estado!

Conselho Superior da Universidade Estadual de Alagoas.
Sala dos Conselhos, Arapiraca – AL, 23 de abril de 2009.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

2009: Ano de definições e muitas eleições na Uneal

2009: Ano de definições e muitas eleições na Uneal.


Passado o período turbulento da greve e retomada as aulas, retomam-se também um período de (re)organização da Universidade. Pautando-se no que deixou de ser conquistado durante as últimas mobilizações teremos já durante esse primeiro semestre um número considerável de eleições para diversos cargos de direção e representação na instituição.

Uma das eleições mais esperadas e, com certeza, também uma das mais disputadas, será a eleição para Diretores de Campus. Todos os campi irão escolher seu diretor e vice-diretor a partir de uma votação conjunta de professores e alunos com peso de 50% a 50% entre os dois segmentos. Essa eleição é importante também por que, além debater a organização da universidade e o seu papel social, deve concentrar o debate também na avaliação da reitoria, obviamente “preparando” a eleição para reitor e vice-reitor, a acontecer no próximo ano.

No movimento estudantil espera-se que eleições não faltem, pois vários Centros Acadêmicos (CA´s) em Arapiraca já anunciaram articulações para fazer eleição nos próximos dias. Entre eles estão o de História, o de Geografia e o de Direito. Em Palmeira também se fala numa campanha massiva de formação de CA’s. O quadro não é diferente nos outros campi e espera-se que os debates se concentrem na articulação do movimento estudantil para que possamos construir uma forte mobilização com foco nas reivindicações estudantis (Assistência estudantil, bolsas de pesquisa, etc...) e na luta pelo urgente Concurso Público para professores.

Seguindo a linha de (re)organização do Movimento estudantil, ocorrerá também a eleição para uma nova gestão do Diretório Central dos Estudantes que promete dar um novo impulso a esse momento de organização independente dos discentes da Uneal.

Em junho é a vez de eleger (ou reeleger) os representes discentes no Conselho Superior da Univerdade (Consu). Maior órgão representativo da Universidade, o Consu não vem tendo a visibilidade que merece no meio estudantil. Vai ser a hora de corrigir as falhas anteriores e realizar uma eleição com muita mobilização e debate entre estudantes.

Além de tudo o que foi relatado ainda tem a proposta de organização de um Fórum Universitário (Fóruniv) com o objetivo de repactuar as bases da universidade e encerrar de uma vez por todas as picuinhas que só atrapalham a consolidação da Uneal como uma Universidade. Agressões são para os fracos, precisamos definir nossas funções e cumprir com as tarefas que o povo espera que uma universidade pública. Fazer pesquisa, fazer extensão e ter ensino de qualidade visando principalmente a transformação de uma sociedade excludente numa sociedade mais igualitária e desenvolvida.

Assim, vemos que a Uneal tem tudo para nesse processo de organização interna, construir a unidade necessária para reivindicar das forças externas (lê-se governo) as condições necessárias para a manutenção e o desenvolvimento da Uneal.

Em Defesa da Uneal!

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Situação do Curso de Direito...

VEJAM COMO ESTÁ O CURSO DE DIREITO...

A situação do curso de Direito está complicada, diria próxima do abismo, em meio aos longos mais de quatro meses de greve (que não resultou em nenhuma melhoria para a universidade, apenas para o bolso dos professores) pouca coisa foi feita em relação ao curso.

Daquilo que é essencial para o funcionamento e existência do curso de Direito na UNEAL, não temos quase NADA. Veja:

- BIBLIOTECA: até metade de 2008, não existia livros de Direito na Biblioteca da universidade, no final do ano passado foram adquiridos alguns livros, que não foram colocados à disposição dos alunos devido a pedido da coordenação (pois a UNEAL estava em greve)... no início de Janeiro foram adquiridos mais uma quantidade de livros de Direito que ainda estão sob cuidados da reitoria (responsável pela compra)... mas ainda é muito POUCO, estes livros apenas suprem as necessidades emergenciais do curso, sem contar que a literatura jurídica é muito renovável, todo ano existem mudanças, exige-se atualizações dos livros, logo há necessidade de uma continua renovação.

- NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA: estágio e prática jurídica são integrantes da grade curricular do curso. Embora apenas seja utilizado a partir do 7º período, faz-se necessário a preocupação desde já, afinal estamos na UNEAL, onde tudo pode acontecer. A reitoria costuma dizer que tem verba para esse tipo de obras, só não existem projetos... a coordenação do curso diz o inverso, tem o projeto, mas a verba não existe... enquanto isso o tempo vai passando...

- PROFESSORES: o curso contava até 2008 com seis professores da parte específica do Direito, a DOGMÁTICA JURÍDICA, que são os professores: CARLOS APRATTO (decano na instituição, só possui graduação, precisa se aposentar urgentemente), GILSON CUNHA (desde 2004, Mestre, Doutorando, tem 40h na UNEAL e 20h na UFAL, mas tem dificuldade em relação ao horário do curso, pois não tem disponibilidade no período da tarde devido à UFAL), JÁDNEY FLÁVIO (desde 2004, especialista, 40h), JÚLIO GOMES (desde 2004, Mestre, Doutorando, 40h, está com dificuldades com o curso, pois está fazendo o Doutorado na Argentina, e por isso aguarda o seu afastamento da instituição), LÚCIO IZIDRO (desde 2004, especialista, 40h, coordenador do curso), ROGÉRIO TEÓFILO (também decano, estava afastando por mandado parlamentar, e agora está de novo afastado por ser vice-prefeito de Arapiraca).
Em 2004, quando foi feito concurso para professores, foram chamados seis professores para a área de Direito: além de quatro mencionados acima, foram chamados FELIPE VASCONCELLOS CAVALCANTE (Mestre em Direito, tem 20h na UNEAL e 40h no CEFET) e ILDA ELIZABETH ACIOLY (especialista, 40h)... Mas estes não dão aula no curso de Direito, POR QUÊ? Porque mora em Maceió? Porque trabalha durante o dia? Porque dá aula em faculdades particulares? POR QUÊ?

- PEQUISA E EXTENSÃO: estes extremamente ligados à falta de professores, e os professores que tem NÃO FAZEM nem pesquisa nem extensão. Como podemos ter qualidade se o nosso curso está se limitando a fazer o que as particulares fazem, apenas ensino?

Sem estes elementos, o curso de Direito da UNEAL não tem condições de funcionamento.
Assim como o curso de Direito, existem outros cursos na mesma situação, ou pior na UNEAL. Enquanto isso esperamos pela boa vontade do governador em fazer concurso, logo estamos PERDIDOS, aliás esse é o objetivo do senhor governador: ACABAR COM O CURSO DE DIREITO DA UNEAL, como o próprio já disse em várias reuniões...
Muitos alunos do curso saíram da instituição, desanimados não só com as condições do curso, mas com a falta de perspectiva de melhora, EM QUEM CONFIAR? No reitor? No governador? No sindicato?
Pode-se confiar em quem fica de greve durante quase cinco meses por apenas um reajuste salarial? Acho que não. Quais as conquistas da instituição com essa greve? Houve algumas, só que negativas: maior divisão interna, saída de alunos da instituição, inserção da politicagem no meio acadêmico, e etc... Enfim...
SÓ TENHO COISAS A LAMENTAR COM A UNEAL!!!

Tiago Vicente - 4° Período

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Informações sobre o orçamento da Uneal.


Informações recebida por alunos da Uneal por e-mail



Fiz uma busca na Lei Orçamentária do Estado para o ano de 2009 e consegui “pescar” onde os 27 milhões devem ser gastos...
Pelo que verifiquei são 16 milhões 115 mil reais para a Administração da Universidade, sendo 15 milhões para “MANUTENÇÃO DAS ATIVIDADES DA ESTRUTURA GERAL” e o restante para Manutenção da Reitoria, Pró-Reitorias e Campi da Uneal.
2 milhões são para “AMPLIAR A INTERIORIZAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR”, onde pouco mais de 1 milhão é destinado à “AMPLIAR A OFERTA DE NOVOS CURSOS DE GRADUAÇÃO” e o restante é para a construção de Sedes da Uneal em Matriz de Camaragibe e Delmiro Gouveia.
Aproximadamente 6,8 milhões são destinados à “MODERNIZAR O ENSINO SUPERIOR”. O Destaque fica para “AMPLIAR O PROGRAMA DE GRADUAÇÃO DE PROFESSORES PARA AS REDES MUNICIPAL E ESTADUAL”, que recebeu quase 2,4 milhões e a Construção da Sede do Campus de União com destinação de 900 mil. Para ampliação da Estrutura física dos outros campi (I, II, III e IV) está previsto 607 mil. 754 mil são para a construção de laboratórios. Pouco mais de 500 mil vão para a implantação do Mestrado em Ciências Ambientais e 250 para construção de um Centro de Tecnologia. Para a aquisição de livros os valores ficaram em 170 mil e para os programas de extensão e iniciação científica 108 mil.
Há ainda um acréscimo, via emenda do Dep. Judson Cabral, de 2 milhões, destinado para Pessoal.
Bom, isso foi o que eu consegui achar, se alguém tiver uma informação mais precisa, ou por ventura corrigir algum erro que eu tenha feito sinta-se convidado à faze-lo.

Um abraço a todos.


sábado, 10 de janeiro de 2009

Lei Orçamentária Anual (LOA) 2009 - aprovada!!!

A Assembléia Legislativa aprovou no dia 07 de janeiro, o projeto de Lei Orçamentária Anual (LOA) para o exercício financeiro de 2009. O Orçamento de Alagoas está orçado em cerca de R$ 5,749 bilhões, o projeto recebeu cinco emendas. Entre elas, a emenda de nº 46, de autoria do deputado Judson Cabral (PT), que acrescentou R$ 2 milhões para a Uneal. A aprovação dessa emenda foi fruto da mobilização da comunidade acadêmica... - (TEXTO DO BLOG SINDFUNESA).

PARABÉNS A TODOS OS ALUNOS QUE PARTICIPARAM DESSAS MOBILIZAÇÕES, VOCÊS TIVERAM PAPEL IMPORTANTE NESSE PROCESSO E ESSA CONQUISTA TAMBEM É NOSSA.

MAIS A LUTA AINDA CONTINUA, POIS ISSO AINDA É MUITO POUCO.

VALE APENA ENGOLIR SAPO!!!!

PARABÉNS A TODOS!!!

Jucélio - GEOGRAFIA

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

OS BLOGS E O ORKUT VIROU ZONA DE GUERRA ENTRE ALUNOS E PROFESSORES

Cada dia q passa eu me surpreendo com o que leio nesses blogs e comunidades do Orkut, vi o quanto tem de gente sacanas, preguiçosos, imoral, ante-éticos, burros, disseminadores de fofoca, aproveitadores, pau mandados e principalmente, descompromissados com a universidade. Essas pessoas fazem desses blogs e Comunidade no Orkut, uma sala de lazer e baixaria, eles se divertem ofendendo uns aos outros, magoando as pessoas que lutam pela universidade.
Alem disso, tem pessoas (alunos e estudantes) que ficam atacando os outros por ordem de alguém, sendo pau mandado, alunos atacando aluno por ordem de seus mestres(professores). No caso de no colega estudante Inaldo é um absurdo os ataques que fazem a ele, eu presenciei varias vezes o reitor perseguindo esse aluno, e como ele poderia ser apoiador do reitor?. Conheço o Inaldo a dois anos e sei o que ele ja fez pela Uneal e vocês, o que tem feito? o que fizeram? Nos anos anteriores, recebi boas informações sobre seu trabalho a frente do DCE, sei que ele não é perfeito, por isso, que vocês que o critica, deviria apoiá-lo nessa luta em defesa da Uneal. Infelizmente, a única trabalho de alguns alunos e professores em beneficio da Uneal é ficar na frente de um computador digitando heresias contra os que lutam pela Universidade. Enquanto vocês se preocupam com Inaldo, ele se preocupa com o Téo Vilela, que se alimenta das nossas divisões e fortalece cada vez mais o seu projeto para acabar com a Uneal. Vocês pregam a união, mais disseminam desunião nos blogs e no Orkut. Acham que são inteligentes nos ataques, mais são burros ao contribuírem com o Téo Vilela nesse processo, pois faz bem para o governo neoliberal essa guerra entre nós.
Ninguém gosta de greve, nem mesmo os professores, mais não podemos deixar de apoiar essa luta, pois é um direito de trabalhador. Não importa a pauta dos professores, se econômica ou estrutural, nós estudantes devemos ter a nossa e lutar por ela, pois essa luta não é somente dos professores é de toda a universidade. Vamos carregar nossa bandeira de forma independente juntos com os professores.
Jucélio - GEOGRAFIA

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Ato Realizado Pelos Alunos e Professores em Frente à Assembléia Legislativa e Palácio do Governo.

Ato Realizado Pelos Alunos e Professores em Frente à Assembléia Legislativa e Palácio do Governo.
02/12/2008

O Ato foi convocado pelos Professores do Sindfunesa, mas os alunos de forma independente resolveram participar para apresentar a sua pauta Em Defesa da Uneal, alunos de diversos campus, estavam ali representados, no total de 20 alunos. Assim, como nosso objetivo é lutar para restabelecer a normalidade na universidade, e mais do que isso fazê-la avançar. Por isso fomos mais uma vez para uma mobilização e continuaremos nessa luta.
Participaram representações de alunos e professores de vários campi. E os discentes marcaram sua posição destacando sempre as pautas referentes a questão estrutural, defendida por “todos”.
A mobilização começou em frente a assembléia legislativa, caminhou pelo centro com destino ao palácio do governo. Nas proximidades do palácio a polícia militar impediu que continuasse o ato com o carro de som e seguimos apenas com apitos para a porta do palácio. De lá retornamos à assembléia legislativa e nesse caminho de volta passamos em frente à Secretaria de gestão pública e fizemos uma reivindicação para que o secretário estivesse presente na reunião com os deputados. O secretário não participou.
Na assembléia, assim como na reunião do dia 25 de Novembro, fomos recebidos pelo presidente da casa e mais alguns deputados que repetiram o discurso de apoio à Uneal. O deputado Paulão entre seus pares foi o que mais falou, fez uma retrospectiva sobre a luta da Uneal e a sua situação atual que cada vez mais se agrava. A vice-reitora Laudirege fez sua fala relatando a quebra de confiança do governador e dos cortes dos recursos da Uneal que a cada ano são feitos. Luizinho, presidente do Sindicato enfatizou o descaso pelo qual passa a universidade, fez uma comparação do laboratório de informática da Uneal e o tamanho da sala de reuniões do gabinete do presidente da Assembléia e no final da sua fala reivindicou a solução para os 16,8% de reajuste já aprovado, mas não cumprido. Os estudantes concentraram suas falas num apelo para que se solucionem os problemas da universidade e que as aulas retornem o mais rápido possível. O Presidente da Assembléia se comprometeu em não fazer nada sem consultar Professores e alunos. O deputado também se compromete em articular uma reunião entre o sindicato e o Secretário de Gestão Pública ainda essa semana.
Como encaminhamento saiu, mais uma vez, a proposta de uma reunião com o governador e os deputados em regime de urgência para definir os problemas. A verdade é que a situação da nossa universidade continua incerta. No fim das atividades, foi feita uma pré-avaliação do ato em praça pública e todos chegaram a conclusão de que foi positiva.

Jucélio
ESTUDANTE DO CURSO DE GEOGRAFIA – CAMPUS I

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Resumo da Reunião com os Deputados Estaduais.

Resumo da Reunião com os Deputados Estaduais.

25/11/2008

Estivemos em Maceió numa reunião com o Presidente da Assembléia Legislativa Estadual (Dep. Fernando Toledo), e com Deputados representantes do governo (Alberto Sexta-Feira e Ricardo Nezinho) e da oposição (Paulão). Estavam presentes o Reitor, a Pró-reitora de Extensão e representantes dos estudantes. O Reitor informou que convidou o sindicato para esta reunião, mas o mesmo alegou não ter possibilidade de comparecer.

O debate central girou em torno da necessidade de inclusão de previsão orçamentária para atender as reivindicações da Universidade. Fomos informados que a Lei de Diretrizes Orçamentárias será apreciada e votada dentro das próximas semanas, e se não estiver expresso a destinação de recursos para investimento em estrutura da Uneal, despesas para com o concurso público para professores, bem como o aumento salarial dos docentes e a assistência estudantil, nenhuma dessas reivindicações terão êxito. Nem agora, nem no próximo ano, e dessa forma a Uneal estará mais ameaçada do que nunca.

Assim, fez-se necessário relembrar o compromisso que esses mesmos deputados afirmaram ter, que é o de Defender a Uneal. Lembramos que o governador descumpriu acordos e que essa postura do governo constrange os próprios deputados que participam das reuniões e avalizam as decisões do governador.

O líder do governo (Dep. Sexta-Feira) ressaltou que, referente a essas últimas negociações, o governador se comprometeu com os pontos da pauta referentes a estrutura (mobiliário de Palmeira e investimentos em laboratórios, bibliotecas e outros, por exemplo) e autorização para o concurso. Foi afirmado que não basta esse “comprometimento genérico” do governador, é preciso definição de prazos. Chega de dizer que “vai fazer”. Já não podemos esperar e precisamos saber até quando!

A questão salarial está ainda mais indefinida, já que o representante do governo alega que não tem como ser prevista uma posição antes de janeiro, já que a lei que obriga o pagamento dos 16,8% vincula a efetivação desse reajuste ao índice que mede o cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal e esse índice é medido a cada 4 meses e somente ao final do ano seria possível saber se o Estado cumpriu a meta.

Como encaminhamento ficou dos parlamentares realizarem uma reunião específica com o governo do Estado para cobrar o envio da previsão orçamentária que contemple os custos com o concurso para professores, investimento em estrutura da Uneal e com o aumento salarial dos professores. Os parlamentares também se comprometeram a dar celeridade aos processos referentes à Uneal (como PCC e emendas) para que os mesmos sejam aprovados a tempo.

Nesse caso é preciso uma “vigília” quanto ao envio da LDO. Precisamos garantir que nossas reivindicações sejam atendidas nessa lei. Assim, é preciso desde já aumentar a mobilização e a ação conjunta da comunidade acadêmica. Quanto mais divisão menos força teremos.

Sendo assim, é hora de todos Em Defesa da Uneal!